História do Eduardo

Dudu veio na minha segunda gestação, irmão de Ana Luiza. Filhote muito desejado, que chegou antes das tentativas. Susto e alegria nos invadiram. Logo nas primeiras semanas tive a sorte de conhecer Carol Mocarzel. Uma médica fofa, atenciosa e mega competente que muito me ajudou nos meus tantos sintomas de gravidez, que não foram poucos. Como em minha primeira gestação, Dudu nasceria de parto normal. Existia aí uma grande expectativa, pois dizem que o segundo filho nasce mais rápido, mas eu não podia acreditar que fosse possível, já que meu primeiro parto ocorreu em 3 horas, um tempo incrível. Pois bem, com 38 semanas e 5 dias tive uma consulta com a Carol e após exame, descobri que estava com 3 de dilatação. Era uma quinta-feira e Carol me disse que achava prudente que marcássemos outra consulta para sábado da mesma semana. Achei um exagero, estava me sentindo muito bem e não acreditava realmente que o Dudu nasceria tão rápido. Saí da consulta, fui ao salão me depilar (afinal, tinha que estar arrumadinha para o parto), depois almocei com meus amigos do trabalho. Dia MUITO agradável ainda contando com a presença da minha filhota de 2 anos e 5 meses. Voltei para casa, cuidei da minha filha até que a noite, quando meu marido chegou em casa, percebi que estava mal humorada. Ok, vamos investigar o porquê do mau humor: estava cansada e…. com dores de cólica, foi quando percebi. Dor tranquila, mas insistente. Liguei para Carol, tomei analgésico, as dores melhoraram, mas não cessaram. Então resolvi dar um pulo na Perinatal para checar se as dores que estava sentindo seriam ou não as do parto. Fui para emergência, descobri que estava com 6 de dilatação e somente voltaria para casa com meu filhote nos braços. A Carol e equipe chegaram em 20 minutos e logo fomos para a sala de parto. Equipe tranquila e competente, me senti muito bem assistida. O parto estava mais para conversa entre amigos. Dudu nasceu com 2:45h de parto, recorde batido…kkkkk. Quem disse que parto normal tem que demorar ou ser dolorido? O meu não foi nem uma coisa, nem outra. Muito obrigada por tudo Carol!!!!

Voltar
Fechar Menu