História da Isabela

E, então, eu estava grávida! Apesar de ter sido uma gravidez planejada, após dez parajumpers Harraseeket anos de namoro e quase dois de casamento, aconteceu rápido, e posso dizer que, praticamente, no susto. Parece que a nossa pequena estava prontinha para vir, ansiosa para chegar! Quando fiz o teste (dois para ter certeza) estava com apenas dois dias de atraso na menstruação, mas, algo já me dizia que ela estava lá. Em geral, a minha gravidez foi ótima e transformadora – a única exceção Parajumpers Jakke foram os fortes enjoos que senti no primeiro trimestre, dos quais prefiro nem lembrar aqui. A partir do segundo trimestre, vivi um período muito tranquilo, no qual pude desfrutar cada uma das mudanças pelas quais meu corpo passava, senti a alegria indescritível dos primeiros movimentos, os primeiros chutinhos, descobri que aquele pequeno ser que se movimentava dentro de mim era a menina com a qual eu tanto sonhava, para a qual eu já tinha um nome desde a adolescência. Era a minha princesinha Isabela! O tempo foi passando, a gravidez continuava excelente, e eu me sentia em total sintonia com a minha filha. Também começava a cair a ficha de que as coisas iam mudar, de que tudo ia mudar. Sentia-me mais mulher do que nunca, mas, ao mesmo tempo, tão pequena diante de tudo o que estava acontecendo, diante de tudo o que ainda ia acontecer. Um filho transforma a sua vida, a sua percepção das coisas. Você passa a ver felicidade em coisas que antes nem percebia, você passa a ter medo de coisas que nem sabia que existiam. Durante o milagre que é a gestação, você deixa de ser um único indivíduo e passa a ser dois. Existe um coração palpitando dentro de você, e não é o seu… Isso é mágico! A hora de ver o rostinho da Bela se aproximava. Nunca fiquei nervosa ou com medo do parto. Não tenho medo de sentir dor, mas, tenho pavor de não ter as coisas sob controle, e acho que foi por isso que escolhi a cesariana. Para mim, foi a melhor escolha, sem dúvida. Já ouvi algumas mulheres dizerem que um parto cesáreo não é tão emocionante como um parto normal. Vou dar aqui a minha opinião: não vejo como alguém possa sentir mais emoção do que eu quando vi os olhos da minha filha pela primeira vez. Não há palavras para descrever e, desculpe, mas, se de parto normal ou cesárea, para uma mãe e um pai que esperaram o seu bebê por nove meses ou, muitas vezes, por muito mais tempo do que isso, aquele é um momento único, inigualável! O nosso momento, tão esperado, finalmente chegou no dia 2 de julho de 2010, sob os cuidados de uma equipe maravilhosa, que deixou a mim e ao meu marido com sentimentos de conforto e confiança. Estávamos cercados por nossa família e amigos, todos prontos para receber esse grande presente de Deus, que é a nossa filha. E, de repente, lá estava ela. Ter Isabela nos meus braços, sentir o seu cheirinho, o seu calor, era a mais pura felicidade. Naquele dia, fui invadida por um amor imenso e outro sentimento que não sei nem explicar e que, na época, não compreendi direito. Hoje, escrevendo esse texto e relembrando daquele instante, acho que era PAZ!

Voltar
Fechar Menu