História da Sofia

Sofia, que um dia “foi” Júlia, sempre foi muito desejada! Mas em 2011 veio o diagnóstico de endometriose e junto o medo de não engravidar. Depois de uma cirurgia para retirar os focos existentes e um tratamento de 6 meses que induziram a menopausa, passei por “longos” 5 meses na angustiante expectativa de menstruar novamente. Até que desisti de continuar a tomar os remédios para induzir e deixei a coisa fluir. Pronto, em fevereiro de 2014 menstruei e em março descobri que estava grávida! Venci a endometriose!!! A alegria nos consumia diariamente! Mas nem tudo eram flores, pois em novembro de 2013 descobri ser portadora de uma doença neuromuscular autoimune, Miastenia Gravis. Resumindo: a Miastenia é uma fraqueza muscular. E no meu caso, generalizada, ou seja, acomete todos os músculos do corpo. E o primeiro ano da doença (meu caso!) ela é mais severa e não se recomenda engravidar… Mas gravida eu estava e gravida permaneci. Agora era contornar a questão e seguir em frente. De cara a recomendação era parto cesárea para não correr risco de uma parada respiratória em um suposto parto normal e também evitar uma crise miastênica no puerpério. Segui com uma obstetra especializada em parto de alto risco. Parto cesárea era certeza, amamentar estava fora de cogitação e deveria parar de trabalhar (sou professora de dança e como é uma atividade muito intensa era melhor não correr riscos associados à doença), mas a gravidez avançava tão bem, sem complicações e me informando cada dia mais sobre minha doença associada à gravidez. Isso me fez descobrir que o parto normal era possível e como a obstetra que estava não fazia parto normal, troquei. Fiquei feliz! Mas durou pouco, os pensamentos eram incompatíveis e com 34 semanas de gestação estava sem médica. Corri como uma louca à procura de alguém até que encontrei o anjo em forma humana, Carolina Mocarzel. Consegui, como que por milagre, uma primeira consulta de orientação na mesma semana. Saímos, eu e meu marido, da consulta com a certeza de que ela que nos ajudaria nessa missão. A confiança foi olho no olho e eu sabia que junto comigo ela lutaria pelo meu parto normal. 40 semanas + 2 dias. No caminho para a última consulta(12hs) senti as primeiras contrações e 2cm de dilatação existentes. Recomendação: ir para casa e esperar. Esperei, pouco. No fim da tarde (18hs) as contrações já estavam muito intensas. Recomendação: ir para a Perinatal (20hs) confirmar e lá estavam 4cm. Segui para a são José e em poucos minutos toda a fantástica equipe estava completa e eu com 5cm (22hs). Fomos para a sala e meia noite brindávamos os 8cm. Pensei: moleza! Já já Sofia estará em meus braços. Enquanto eu estava com meu marido curtindo cada contração e me exercitava com ajuda da queridíssima Cintia, sem eu saber, a equipe estava preocupada e se preparando para qualquer surpresinha que a miastenia pudesse provocar. Bolsa estourada e a surpresa ficou por conta do mecônio… mas o coração da Sofia seguia bombando, então, nada de pânico (para mim,rs!). Faz força daqui, dali e a danada não vinha. Um certo clima de tensão e meu parto normal estava a um passo de se tornar cesárea. Parei, respirei, rezei! Sofia começava a oscilar os batimentos. Rumo à sala de cirurgia. Últimas tentativas. Yes!!!!! Sofia nasceu! Linda, de olhos abertos, cansada, com a mão colada na face e seu micro cordão umbilical. Pena que toda a tensão não nos permitiu uma foto digna de vencedores com toda a equipe… Sonhei muito com um parto sem intervenções, acreditava que esso era o famoso parto humanizado. Me enganei! Tive todas as intervenções possíveis, placenta retida, e sabe o qual foi a melhor descoberta? Tive meu sonhado parto normal e humanizado. Humanizado sim! Porque eu tive uma obstetra humana que me deu a mão, me olhou nos olhos e disse: estou com você! Hoje: tenho uma filha que um dia disseram que não poderia ter, tenho esse relato de parto taxado como impossível, apesar da miastenia tenho força mais que suficiente para carregar minha torinha Sofia nos braços e graças a outro anjo, Dra Marta Alencar, amamento repleta de emoção minha filha!! Minha eterna gratidão a essa equipe fantástica: Dra. Carolina Mocarzel (obstetra cirurgiã), Dra. Marta Alencar (pediatra), Dra. Alessandra Heringer (auxiliar), Dra. Juliana Esteves (instrumentadora), Dr. Gilson Junior (anestesista) e Dra. Cintia Porto (fisioterapeuta), que com certeza fizeram toda a diferença!

Voltar
Fechar Menu